Aguarde...

Newsletter

O animismo fetichista dos negros baianos

Por apenas:
R$ 20,00
COD:
978-85-8325-006-7
Peso:
143.00
Entrega:
Calcular ao finalizar
Estoque atual:
24

Compre à vista no boleto e ganhe 5% de desconto

Parcelamento no cartão de crédito

  • PAGSEGURO
  • 1 x R$ 20,00 sem juros
  • 2 x R$ 10,00 sem juros
  • 3 x R$ 6,67 sem juros
* O número de parcelas pode variar de acordo com a bandeira de cartão de crédito
Bookmark and Share


Descrição do produto

 

Autor: Nina Rodrigues
Páginas: 148
ISBN: 978-85-8325-006-7
Clínico, professor, escritor, dietólogo, 'tropicalista', sexologista, legista, higienista, antropólogo, biógrafo, epdemiologista, etnólogo, Nina Rodrigues foi um homem múltiplo. Nasceu em 1862, em Vargem Grande - MA, e faleceu em julho de 1906, em Paris. 
Com o resultados de seus estudos propôs uma reformulação no conceito de responsabilidade penal, sugeriu a reforma dos exames médico-legais e foi pioneiro da assistência médico-legal a doentes mentais, além de defender a aplicação da perícia psiquiátrica não apenas nos manicômios, mas também nos tribunais. Também analisou em profundidade os problemas do negro no Brasil. O animismo fetichista dos negros da Bahia (1900) é um de seus livros de destaque. O Instituto Médico Legal Nina Rodrigues (IMLNR), o mais antigo dos quatro órgãos que compõem a estrutura do Departamento de Polícia Técnica da Bahia, foi criado (1906) pelo Prof. Oscar Freire e intitulado Nina Rodrigues pela Congregação da Faculdade de Medicina da Bahia, em homenagem ao famoso professor catedrático de Medicina-Legal, falecido naquele mesmo ano, aos 44 anos de idade.

de, Nina Rodrigues.

Clínico, professor, escritor, dietólogo, 'tropicalista', sexologista, legista, higienista, antropólogo, biógrafo, epdemiologista, etnólogo, Nina Rodrigues foi um homem múltiplo. Nasceu em 1862, em Vargem Grande - MA, e faleceu em julho de 1906, em Paris. Com o resultados de seus estudos propôs uma reformulação no conceito de responsabilidade penal, sugeriu a reforma dos exames médico-legais e foi pioneiro da assistência médico-legal a doentes mentais, além de defender a aplicação da perícia psiquiátrica não apenas nos manicômios, mas também nos tribunais. Também analisou em profundidade os problemas do negro no Brasil. O animismo fetichista dos negros da Bahia (1900) é um de seus livros de destaque. O Instituto Médico Legal Nina Rodrigues (IMLNR), o mais antigo dos quatro órgãos que compõem a estrutura do Departamento de Polícia Técnica da Bahia, foi criado (1906) pelo Prof. Oscar Freire e intitulado Nina Rodrigues pela Congregação da Faculdade de Medicina da Bahia, em homenagem ao famoso professor catedrático de Medicina-Legal, falecido naquele mesmo ano, aos 44 anos de idade.

Páginas: 148

ISBN: 978-85-8325-006-7

Procurar produtos similares por categoria

Escrever comentário

Comentários

Este produto não recebeu nenhum comentário até o momento. Seja o primeiro(a) a enviar um comentário para este produto!

Você visualizou recentemente...

  • R$ 20,00
    ou 4x de R$ 5,00
    ou R$ 19,00 à vista no Boleto
      Autor: Nina Rodrigues Páginas: 148 ISBN: 978-85-8325-006-7 Clínico, professor, escritor, dietólogo, 'tropicalista', sexologista, legista, higienista, antropólogo, biógrafo, epdemiologista, etnólogo, Nina Rodrigues foi um homem múltiplo. Nasceu em 1862, em Vargem Grande - MA, e faleceu em julho de 1906, em Paris.  Com o resultados de seus estudos propôs uma reformulação no conceito de responsabilidade penal, sugeriu a reforma dos exames médico-legais e foi pioneiro da assistência médico-legal a doentes mentais, além de defender...